Pinacoteca de São Paulo recebe instalação artística

Exposição e Instalação artística marcam a programação da Pinacoteca de São Paulo e traz artistas como Alvim Corrêa e Lais Myrrha.

0
49
Lais Myrrha: O Condensador de futuros - Maquete Digital
Lais Myrrha: O Condensador de futuros - Maquete Digital

A Pinacoteca de São Paulo é um museu de artes visuais com ênfase na produção brasileira do século XIX até a contemporaneidade e em diálogo com as culturas do mundo. O museu de arte mais antigo da cidade de São Paulo, fundado em 1905 pelo Governo do Estado, recebe ainda neste ano uma nova exposição e uma instalação artística.

Confira quais são elas:

Lais Myrrha: O Condensador de Futuros

Até fevereiro de 2022 o público poderá visitar a Pinacoteca e conhecer o trabalho da artista Lais Myrrha: O Condensador De Futuros. A peça é construída a partir da redução da cúpula do Senado Federal, que vai aparecer como se estivesse presa no octógono a 1,30m de altura.

Devido às suas dimensões e forma côncava, a estrutura provoca modificações no próprio espaço do Octógono, ao encobrir a visualização do seu famoso teto com janelas. Tornando assim impossível ter uma visão panorâmica da obra a partir do segundo andar. 

A intervenção possui um significado indefinido entre abrigo/esconderijo e armadilha, e, o público, se assim desejar, poderá atravessar ou adentrar o espaço. 

Nascida em Belo Horizonte, Lais Myrrha é mestra e doutoranda na Escola de Belas Artes, da Universidade Federal de Minas Gerais. Participou de diversas bienais e exposições. Seu trabalho investiga instrumentos e saberes que constroem nossa experiência no mundo a partir do lugar que nele ocupamos. 

Dicionários, mapas, bandeiras, hinos, jornais e telejornais são alguns dos elementos sobre os quais a artista interfere. Para ela, a arte é uma possibilidade de se lançar em zonas de instabilidade, em situações nas quais o familiar se torna estranho e a lógica convencional parece falhar. 

Myrrha explora em suas obras a noção de impermanência e a história contada do ponto de vista dos “vencidos”, assim como a precariedade dos conceitos de equivalência e equilíbrio. 

Ninguém teria acreditado: Alvim Corrêa e 10 artistas contemporâneos

Com curadoria Laurens Dhaenens e Fernanda Pitta, segue em cartaz até abril de 2022 a nova exposição Ninguém Teria Acreditado: Alvim Corrêa e 10 artistas contemporâneos. 

Obra de Henrique Alvim Corrêa na Pinacoteca. Foto: divulgação.

Para marcar os 70 anos da morte de H.G. Wells (1866 – 1946) e os 110 anos do falecimento de Henrique Alvim Corrêa (1876 – 1910), a exposição propõe a dez artistas contemporâneos repensar o legado desses autores.

O visitante é desafiado a refletir sobre a natureza da experiência humana em meio aos desenvolvimentos tecnológicos do passado, presente e futuro.

Em uma contextualização histórica, em 1906, Corrêa, artista brasileiro que vivia e trabalhava em Bruxelas, ilustrou uma edição de luxo d’A Guerra Dos Mundos, de H. G. Wells.

As ilustrações criaram a imagem pungente para a história futurista que aborda a invasão da terra por uma sociedade mais avançada tecnologicamente, a dos extraterrestres. Alvim Corrêa criou um repertório de criaturas, máquinas e paisagens provocadoras que tornaram-se paradigmas do imaginário da ficção científica.

A exposição também conta com os artistas participantes: Wendy Morris, Runo Lagomarsino, Rivane Neuenschwander, Cabelo, Guerreiro do Divino Amor, Fernando Gutierrez “Huanchaco”, Luiz Roque, Alex Cerveny, Ilê Sartuzi, Denilson Baniwa.

Serviço
Lais Myrrha: O Condensador de Futuros
Até 21/02/22

Ninguém teria acreditado: Alvim Corrêa e 10 artistas contemporâneos
Até 11.04.2022

Pinacoteca de São Paulo – Praça da Luz, 2
Quarta a segunda, das 10h às 18h.
R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).

Quer receber essa e outras notícias no seu e-mail? Assine a newsletter

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here