#MinhaLista com o ator Felipe Barros, de O Pau no Divã

0
80
Felipe Barros interpreta Pedro em cena com seu cachorro Demon, que participou de vários episódios. Foto: Divulgação
Felipe Barros interpreta Pedro em cena com seu cachorro Demon, que participou de vários episódios. Foto: Divulgação

O Pau no Divã é uma websérie de ficção em 5 episódios criada e protagonizada pelo ator Felipe Barros, que estreou no dia 29 de junho pelo Youtube e pelo canal do Instagram do ator @fefobarros.

A série busca discutir sexualidade e masculinidade a partir da ótica de Potira Jandara, uma mulher à frente de seu tempo. Por meio da escuta, empatia, do amor e boas doses de sarcasmo, ela coloca no divã os comportamentos dos homens que circulam sua vida. 

Em meados de 2019, como projeto artístico e pessoal, Barros decidiu investigar a sua masculinidade e os conceitos/pessoas/ideias que o fizeram ser aquele homem, performando aquele tipo de masculinidade.

Após pesquisas, estudos e muitas sessões de terapia, em que Felipe buscou entender os caminhos da sexualidade no processo de construção da masculinidade na nossa sociedade, nasce O Pau no Divã.

“A gente como artista sempre sonha em mudar o mundo com a nossa arte. Acredito que O Pau no Divã é um pouco da minha contribuição, do meu posicionamento. Mudou o meu mundo, a minha forma de pensar, de agir, de compreender a mim e o outro. Eu me transformo e vou transformando ao meu redor”, comenta Felipe.

Felipe Barros interpreta Potira, a protagonista da história. Foto: Divulgação

O roteiro foi desenvolvido em um curso de roteiro. “Depois de ajustes e muitas chamadas de vídeo com amigos que trouxeram insights e incentivos para realizar a obra, decidi pôr a mão na massa e contar com o que tinha para fazer acontecer”, conta Barros.

Os episódios foram gravados em 2 semanas e a equipe contou apenas com duas pessoas presencialmente, a fotógrafa Nathalia Souza e a maquiadora Isabella Pinguel, irmã e vizinha dele, respectivamente.   

E o trabalho de construção dos personagens e preparação do ator para a série foi feita pelo profissional Sergio Spina, assistente da preparadora de elenco Fatima Toledo

“Cada episódio do O Pau no Divã representa uma questão, um dilema, um olhar sobre a masculinidade exercida por aquele personagem representado no episódio. Esses homens, assim como a Potira é inspirado na vida real. Nos meus amigos, na minha família, nos comportamentos que transpassam pela minha vida.”, finaliza Felipe.

Com a estreia de O Pau no Divã, o e-Urbanidade convidou o ator Barros para comentar sobre cinco cenas da websérie que deveriam ser assistidas pelos homens.

#MinhaLista

#1 – Episódio 1

“No episódio 1, Pedro, o vizinho do lado vive uma adolescência tardia, após sua separação. Ele não reflete sobre suas atitudes, apenas segue a vida. Pedro tem suas dores e não quer acessá-la, porque sabe o tamanho delas e as consequências de suas escolhas.

No mesmo episódio falamos sobre masculinidade tóxica, sobre separação, comportamentos infantis e monogamia. O Pedro é um personagem muito plural, de fácil identificação e o que mais representa padrões estereotipados do homem. Você vai se identificar com ele ou com alguém que você conhece, com certeza!.”

#2 – Episódio 3

“No episódio 3, quis falar de violência doméstica e do silenciamento que muitas mulheres sofrem dos seus maridos. O personagem Luiz Claudio representa o atraso, o machismo enraizado nas entranhas do patriarcado. O famoso ‘homem de bem’, conservador, protetor da família e dos bons costumes. Ele diz muito sobre o nosso tempo atual. Sobre essa crise geracional que a gente vive.

Homens de 60 que acham que sabem tudo, que no tempo deles tudo era melhor e que as coisas precisam permanecer do jeito que eles querem. Uó. Fora todos eles!.”

#3 – Episódio 4

“Vamos falar de pegação no sigilo? Quantos homens vivem vidas duplas, com um casamento perfeito perante a sociedade, mas buscando realizar seus desejos e prazeres escondidos por outros homens em aplicativos, praças, parques, autoramas, banheiros e afins?

O episódio 4 fala sobre prazer, ou a repressão dele. Fala sobre a ignorância que o homem possui com o próprio corpo. Sobre uma masculinidade sufocante, que aprisiona homens e mulheres em conceitos completamente ultrapassados. Todos os personagens da série têm um pouco de Felipe Barros também, mas acredito que o Marinho, personagem do episódio 4, é o que mais tem de mim. Minhas falas estão ali. Eu já fui aquela pessoa, com aquele pensamento, com aquela ideologia. Reprimido e infeliz. Ainda bem que apareceram varias Potiras pra me salvar!.”

#4 – Episódio 5

“A série é sobre escuta. Escutar o outro e principalmente a si mesmo. A última cena da série, no episódio 5, pra mim é de tirar o folego e deixar os olhos marejados. Sem spoilers, mas fica a dica e a reflexão: eu estou aberto para escutar o outro, mas será que alguém quer me escutar? Será que vem segunda temporada?.”

#5 – Qualquer cena com o Demon

“Pra finalizar e arrebatar os corações, eu aconselho ver com calma e com o coração bem quentinho todas as cenas em que aparece o Demon, meu cachorro, melhor amigo vira lata, meu companheiro de vida há mais de 6 anos. Ele é super interativo e deixou a série mais fofa e divertida. Afinal, cachorro é o melhor amigo do homem.”

Quer receber essa e outras notícias no seu e-mail? Assine a newsletter

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here