Meia Noite em Paris – Blog e-Urbanidade

3
Filme Meia Noite em Paris

Frequentemente Woody Allen nos brinda com suas histórias engraçadas, personagens neuróticos e frases freudianas aplicadas no cotidiano. É verdade que a crítica andou dizendo que o diretor-autor andou meio fora de forma. Eu discordei, até ver Meia Noite em Paris. Sem dúvida, uma história muito superior às suas últimas produções.

Gil (Owen Wilson) é um escritor em crise, mora onde não quer, é noivo de uma mulher insuportável e é louco para morar em Paris. Como mágica, descobre que a meia noite, quando os relógios badalam, um carro passa pela rua e o leva a vagar pelos anos 20 em Paris.
Uma bela história de amor começa a se mostrar na tela. Sim tem um romance, mas o melhor delas é a busca de Gil pela realização dos seus desejos.  E ai me identifiquei totalmente com a história. A passagem de vários artistas consagrados na história das artes é fascinante  e o clima surreal é simplesmente delicioso.
Encontramos um personagem em crise, com pitadas freudianas de Woody Allen por todos os lados. Por isso, em algums momentos as risadas irônicas são inevitáveis e a gente sai da sala com um certo ar de alegria e entusiasmo pela vida e pelos nossos desejos.
Peguei me vendo na tela por vários momentos, inclusive no momento atual que vivo, de mudar da cidade em que moro por um desejo parecido com o de Gil. Claro que podemos pensar, São Paulo não tem o charme de Paris, certo? Não sei, gosto daqui também com chuva e ainda não encontrei nenhum autor de décadas atrás quando dá meia noite. Mas, o clima da cidade me faz bem.
Voltando ao filme, escritores, artistas ou sei lá qual sua relação com as artes, assistir Meia Noite em Paris é necessário. Sem dúvida, encontrará uma história inspiradora. Se você consome arte, não deixe de ver Woody Allen, numa das suas melhores produções. O humor irônico, as análises freudianas, o personagem principal meio neurótico, ou seja, todos aqueles elementos que encontramos nos filmes do diretor estão lá. Por isso, é imperdível!
Quer receber essa e outras notícias no seu e-mail? Assine a newsletter

3 COMMENTS

  1. Vi o filme na última quinta-feira, em uma noite fria e solitário, em Porto Alegre.

    O desejo de mudar… de sair de um estado de comodismo… e deixar alguém que simplesmente, não combina conosco… uau!!!

    Sai estasiado…

    Tenho buscado algumas coisas… mudanças, novos ares… trabalho… novos horizontes.

    Coisas relativamente simples… mas que acabam demandando paciência e muita persistência!!!

    Enfim… valeu a pena.

    E mesmo sozinho, em Porto Alegre… me senti pleno de mim mesmo… era como se eu me bastasse… e o que eu quisesse, era só arregaçar as mangas e começar a fazer!!!

    🙂

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here