Irmãos Lumiére ganham versão em HQ

O ator e multiartista Gabriel Manetti lança a HQ Zeca e o Mistério dos Irmãos Lumière, uma trama de suspense em homenagem ao cinema.

0
Gabriel Manetti. Foto: Diego Rodrigues
Gabriel Manetti. Foto: Diego Rodrigues

Se um dias os irmãos Lumiére inovaram os seus tempos como grandes precursores do cinema e da fotografia, agora chega a vez de serem homenageados de uma forma também muito inovadora: através de uma HQ.

O ator e multiartista Gabriel Manetti, também autor de Chico E O Osso De Dinossauro e Socorro! Meu Irmão Virou Um Monstro – que já teve sua primeira edição esgotada – lançou recentemente a HQ Zeca E O Mistério Dos Irmãos Lumière.

Publicada pela Editora Novo Século, a obra conta a história de Zeca, um garoto apaixonado por cinema que recebe, em um dia de chuva, uma caixa enigmática com pistas sobre o paradeiro do seu tio Heitor, que desapareceu misteriosamente. As ilustrações da obra são de Gabriel Sozzi.

A história

A história nos leva até a origem do cinema e à invenção do cinematógrafo, objeto criado por Auguste Marie Louis Nicholas Lumière e Louis Jean Lumière, conhecidos como os irmãos Lumière. Esses criadores são retratados na HQ de uma maneira jovem, divertida e atual, brincando com alguns fatos históricos sob olhar de um personagem inteligente e carismático.

A publicação além de transitar pelas origens da sétima arte, também tem muita relevância na formação de um público leitor: “é uma história direcionada para crianças que estão iniciando o hábito da leitura e para jovens e adultos que são apaixonados por mistérios e sobretudo, cinema”, comenta Manetti.

Muitas referências também estão presentes neste trabalho, já que Gabriel utilizou como referências não apenas a história do cinema, mas também HQs clássicas, como As Aventuras de Tintim, do autor belga Hergé, e Spirou e Fantásio, do francês Rob-Vel. O imaginário que inspirou o autor também passa por livros clássicos de aventura, como A Ilha do Tesouro, de Robert Louis StevensonOliver Twist, de Charles DickensVinte Mil Léguas Submarinas e A Volta Ao Mundo Em Oitenta Dias, de Julio Verne, e todos os livros de Roald Dahl.

Assim, a HQ se baseia na paixão de Manetti pela sétima arte, desde a sua infância. Traz a história de Zeca, um menino apaixonado por cinema. Nasceu no mesmo dia, cento e vinte e cinco anos depois, da primeira projeção pública da história, realizada pelos Irmãos Lumière. A primeira palavra que Zeca disse foi: “ci ne ma”. Não podia ter sido outra, afinal, desde pequeno ficava hipnotizado com os mestres Charles Chaplin e Buster Keaton.

O garoto cresceu vendo todo tipo de filme e fez da sétima arte uma escola, mas um mistério nunca saiu de sua cabeça: seu Tio Heitor, que assim como ele, era um apaixonado por cinema, sumiu misteriosamente.
 
Numa noite chuvosa, sozinho em sua casa, Zeca recebe uma caixa enigmática que vai levá-lo numa aventura até o verdadeiro paradeiro de seu tio. A trama passa pelo surgimento do cinema, pistas inesperadas dentro dos filmes, viagens, fugas perigosas, poderes inesperados, atores, atrizes e diretores do passado, uma organização criminosa e um amuleto que poderá salvar o mundo da imaginação: A Pedra dos Irmãos Lumière.

Uma relação entre memórias afetivas e a HQ

Escrever também é mergulhar em nossas profundezas e muitas vezes nos depararmos com nossas memórias afetivas, tanto com aquelas das quais vivemos, extraímos experiências, impactos, como também com as narrativas daquilo que não vivemos e muitas vezes só sabemos pela memória de outras pessoas, e através de suas narrativas e visões de mundo.

Foi isso o que aconteceu com Manetti, já que a obra é uma homenagem a um tio que não conheceu: José Carlos Manetti, um homem aficionado por cinema que morreu precocemente, aos 18 anos. “Quase sessenta anos depois, a vontade de o ter conhecido, sua morte e, principalmente, seu amor pelo cinema, me levantaram questões que só poderiam ser resolvidas com a criação desta história”, conta Gabriel.

O autor reforça que seu tio abria pontualmente, às 19h, o portão de sua residência e exibia às crianças desenhos e filmes que eram aguardados pelo público. Sempre formava uma fila de crianças e adultos ansioso para assistir clássicos como Mary Poppins e os filmes de Hitchcock ou desenhos animados, como Tom & Jerry Pernalonga.

Serviço
Zeca e o Mistério dos Irmãos Lumière, de Gabriel Manetti.
Editora Novo Século
159 páginas

Quer receber essa e outras notícias no seu e-mail? Assine a newsletter

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here