Festival virtual discute cinema brasileiro na década de 2010

0
Praia do Futuro, de Karim Aïnouz – Foto: Divulgação

Esta é para cinéfilos entusiastas do cinema brasileiro. A partir do dia 22 acontece o festival Cinema Brasileiro: Anos 2010, 10 Olhares. A ideia do evento, que é todo virtual e gratuito, é trazer para o público uma seleção da produção cinematográfica feita no Brasil durante essa década.

O evento é a terceira parte de uma retrospectiva que começou em 2001 – falando sobre o cinema dos anos 1990 – e continuou em 2011, dessa vez abordando a produção da década de 2000. O evento é produzido pela Cup Filmes, e a seleção conta com 75 produções, sendo 43 longas e 28 curtas.

O festival divide as obras em oito eixos temáticos com diferentes recortes e enfoques. Cada um foi produzido por um curador ou curadora. Além disso, tem debates com especialistas e os curadores, que discorrem sobre o olhar que cada organizador trouxe à respeito de seu tema.

O projeto foi idealizado por Eduardo Valente, que conta mais sobre o processo de escolha dos títulos e eixos temáticos: “Eles e elas tiveram liberdade total para propor títulos e maneiras de aproximar filmes, mas ao mesmo tempo nos reunimos para juntos trocarmos ideias sobre o que estes olhares, no seu conjunto, podiam projetar sobre a produção nacional na última década“.

Um dos eixos temáticos presentes no festival é o organizado por Erly Vieira Jr. De corpo a corpo – personagens transbordantes, espectadorXs desejantes explora a produção cinematográfica brasileira voltada para o universo queer. “Incluir aqui o diálogo entre diversos gêneros audiovisuais e hibridismos com outras linguagens contemporâneas, bem como formas de se explorar as relações nem sempre conciliatórias entre corpos dissidentes em termos de gênero e sexualidade e os espaços que habitam“, conta Erly.

Pedro Azevedo apresenta o eixo O mundo em desencanto, com produções nordestinas da década, que buscam traduzir a teia complexa das questões que permeiam a existência de ser nordestino. Dentre os filmes escolhidos estão Medo do Escuro, de Ivo Lopes Araújo e Sol Alegria, de Tavinho e Mariah Teixeira.

O festival também se propõe a analisar a evolução do cinema nacional nos últimos anos. Por um lado, a década teve uma produção fértil, com destaque para a presença de mulheres e negros e negras. No entanto, nos últimos anos tem-se visto um desmonte sistemático da cultura o Brasil. E, em meio a esse cenário, a mostral também cumpre um papel de resistência.

Algumas das produções presentes nesta seleção são os longas Praia do Futuro, de Karim Aïnoyz, Meu Nome é Bagdá, de Caru Alves de Souza, Nova Dubai, de Gustavo Vinagre; Corpo Elétrico, de Marcelo Caetano; Café com Canela, de Glenda Nicácio e Ary Rosa, e muito mais. Entre os curtas destaque para Perifacu, feito por Nay Mendl, Rosa Caldeira, Stheffany Fernanda, Vita Pereira, e Latifúndio, de Érica Sarmet.

Confira a programação completa de cada um dos eixos temáticos e a sinopse das produções no site do Festival.

Serviço:

Cinema Brasileiro: Anos 2010, 10 Olhares
De 22 a 30 de abril de 2021.
Exibição gratuita por meio do site oficial do festival, com direcionamento para a plataforma Belas Artes À La Carte.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui