Documentário: Revelações, direção Sam Feder | Blog e-Urbanidade

0
45
Revelações - Foto: Divulgação
Revelações - Foto: Divulgação
Revelações - Foto: Divulgação
Revelações – Foto: Divulgação

O documentário Revelações (Disclosure/Netflix) investiga a representação das pessoas trans, nas telas da tevê e do cinema norte-americano. Laverne Cox, Lilly Wachowski, Yance Ford, MJ Rodriguez, Jamie Clayton, Chaz Bono e outras/outras expõem como a alteridade foi sendo percebida entre personagens ora caricatos, ora vilões.

A troca de representação entre gêneros sempre esteve presente na farsa, formato que teve sua origem na Comédia Nova grega, que influenciou a dramaturgia subsequente. Sempre fez rir, como Victor ou Victoria (1982), Tootsie (1982) e Uma Babá Quase Perfeita (1993), mas pelo viés do erro e da falha.

O documentário reflete sobre as comuns crises de vômitos que marcaram o cinema, quando alguns trans eram “revelados”. E toma ares de crueldade em comédias como Ace Ventura: Um Detetive Diferente em que explicita a humilhação e a desvalorização de uma mulher trans. E fica um inquietação: como é possível construir uma identidade sã diante deste humor desumano e que muitos de nós rimos?

Nas entrevistas há depoimentos de atrizes escaladas para as personagens trans frequentemente mortas nas séries policiais, reforçando a transfobia relacionada a prostituição.

Talvez um dos grande trunfos de Revelações seja esse de, repentinamente, perceber-se consumidor desta estética de desvalorização. E aí, como essa “virada de chave” é um processo, perceptível até nas perguntas de entrevistadores de talk show, incluindo Oprah Winfrey.  Por aqui no Brasil, por exemplo, quem já não viu Roberta Close, Rogéria e até Pablo Vittar terem que responder onde colocam seus órgãos genitais? Será que isso interessa?

O documentário do Netflix tem um valor pedagógico e educativo a sociedade que sempre admirou as existências trans, mas normalmente as tratou+ pelo viés do erro ou do grotesco. Assim, o audiovisual tem a responsabilidade de propor também novos olhares, além de esteriótipos e dramaturgias alienadas.

Sendo assim, o que interessa é que homens e mulheres trans tenham bons personagens e que identidades sejam construídas não mais pela perspectiva da falha e do caricato, tanto na comédia como nos dramas. Por isso, assistir Revelações seja tão importante para quem consome e quem escreve o audiovisual.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here