Crítica: TERRENAL – PEQUENO MISTÉRIO ÁCRATA, direção Marco Antonio Rodrigues – Blog e-Urbanidade

0
53
TERRENAL - PEQUENO MISTÉRIO ÁCRATA - Foto: Leekyung Kim
TERRENAL – PEQUENO MISTÉRIO ÁCRATA – Foto: Leekyung Kim

A história bíblica de Caim e Abel é o argumento de Terrenal – Pequeno Mistério Ácrata, atual cartaz do SESC Santo Amaro. Com direção de Marco Antônio Rodrigues, a trama dos dois irmãos que vivem em brigas, competindo tanto pela atenção do pai quanto pela propriedade, é o texto do dramaturgo argentino Mauricio Kartun, com tradução de Cecília Boal, viúva de Augusto Boal.

A criativa montagem toma partido do clown e da metateatralidade para explicitar os conflitos sociais presentes no primeiro assassinato do mundo. Mesmo sendo uma história tão antiga, Kartun atualiza com um olhar político, o que torna o autor uma das referências no teatro latino-americano. Ele e Augusto Boal tiveram uma intensa relação de trabalho durante o exílio de Boal na Argentina.

Terrenal – Pequeno Mistério Ácrata apresenta a singularidade e oposição entre os esses dois irmãos: Caim (Fernando Eiras) produz pimentões, é apegado ao patrimônio; e Abel (Danilo Grangheia), sonhador, que cultiva o ócio. Questionamentos sobre propriedades, liberdades, direitos, hedonismo, muros, desejos, capitalismo e comunismo vão sendo descortinadas, diante de um pai-Deus (Celso Frateschi) distante, fanfarrão, omisso, dual e de mão pesada.

Marco Antônio propõe um universo fantasioso e não realista que, mesmo estando em um palco italiano, procura a proximidade com o assistidor, ora quebrando a quarta parede ora iluminando a platéia. No jogo cênico há claramente elementos do teatro manifesto e crítico de Boal na estética circense e nas quebras musicais comandadas por Demian Pinto, possibilitando a reflexão.

Se existem alguns poréns, um deles é o uso excessivo de elementos de clown e metalinguagem que se saturam nas cenas finais, prolongando o epílogo. Também o tom embriagado de Abel se exaure e deixa a personagem unidimensional mesmo diante de um texto tão potente e complexo.

O elenco maduro tem uma aderência perfeita às suas personagens, mesmo assim Eiras, diante das possibilidades propostas nos texto, tem momentos importantes, humaniza seu Caim e reforça o grande ator que é. Destaque para a participação de Demian que corrobora com a estética bufão e é uma das boas sacadas da direção.

Pós-eleição, discursos inflamados sobre direita e esquerda e apreensão sobre o governo que virá, Terrenal – Pequeno Mistério Ácrata tem múltiplos efeitos. Tanto para despertar a reflexão e o debate sobre a limitada visão de mundo dicotômica (esquerda x direita; razão x intuição; certo x errado; comunismo x capitalismo; seu x nosso; Deus x diabo; etc), como a necessidade de respeitar o diferente.

Terrenal revela o que já sei, o diferente está em mim, sou eu mesmo. E tenho que conviver com ele. (Cecília Boal no programa da peça).

Conviver, sim! E isso não significa se calar, mas entender que é no bom embate que há evolução e que a humanidade segue. Perceber que aquilo que nos incomoda revela mais sobre nós do que do outro.

Não deixem de ver!

SERVIÇO
Terrenal – Pequeno Mistério Ácrata
De 22/11 a 16/12/ 2018 – quinta a sábado, 21h. Domingos, 18h.

FICHA TÉCNICA
Texto | Mauricio Kartun
Tradução | Cecília Boal
Direção | Marco Antonio Rodrigues
Elenco | Celso Frateschi, Danilo Grangheia, Fernando Eiras e Demian Pinto
Direção musical | Demian Pinto
Assistente de direção | Thiago Cruz
Direção de produção | Ricardo Grasson
Cenário, figurinos e adereços | Sylvia Moreira
Preparação musical | Marcelo Zurawski
Preparação Corporal | Esio Magalhães
Assessoria de mágicas | Rudifran Pompeu
Visagismo | Kleber Montanheiro
Design de luz e operação| Túlio Pezzoni
Design de Som |Gabriel Hernardes
Operadora de som | Monique Carvalho
Fotografias | Leekyung Kim
Assessoria de imprensa | Márcia Marques
Mídias Sociais | Menu da Música
Design Gráfico | Zeca Rodrigues
Cenotécnicos | Zé Valdir e Marcelo Andrade
Contrarregra| Felipe Santos
Gestão de Projetos | DCARTE e Corpo Rastreado
Administração | Corpo Rastreado e DCARTE
Produção executiva | Corpo Rastreado
Idealização | Instituto Boal

SERVIÇO
Terrenal – Pequeno Mistério Ácrata
Quando: 22/11 a 16/12.
Horário: Quinta a sábado, 21h. Domingos, 18h.
Local: Teatro (1º andar) | Capacidade: 279 lugares
Classificação: 16 anos | Duração: 100 min
Ingressos: R$ 20,00 (inteira). R$ 10,00 (estudantes, +60 anos e aposentados, pessoas com deficiência e servidores da escola pública). R$ 6,00 (Credencial Plena válida: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo credenciados no Sesc e dependentes).

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here