Crítica: QUARTA-FEIRA, SEM FALTA, LÁ EM CASA, direção Alexandre Heinecke

0
91
Eva Wilma e Suely Franco - Foto: Caio Gallucci
Eva Wilma e Suely Franco - Foto: Caio Gallucci
Eva Wilma e Suely Franco - Foto: Caio Gallucci
Eva Wilma e Suely Franco – Foto: Caio Gallucci

Assistir Eva Wilma e Suely Franco no Teatro Porto Seguro, por si só, já seria um programa obrigatório. Além disso, a comédia Quarta-feira, Sem Falta, Lá em Casa, texto de Mário Brasani e direção de Alexandre Heinecke, emociona e expõe importantes questões da terceira idade e suas dificuldades em lidar com as novas gerações.

Carismáticas, intuitivas, versáteis e com grande talento a comédia, Eva e Suely mostram total domínio do jogo cênico e do drama entre as duas amigas que se reúnem todas as quartas-feiras para jogar conversa fora e tomar chá. Em um desses encontros um assunto inesperado aparece quando a empregada Helena, que trabalha na casa de Laura, não está a frente do serviço.

Mesmo que a comédia de situação seja o traço determinante da dramaturgia de Brasani, há grande apelo melodramático assim que as revelações brotam. Aí o espetáculo surpreende e evidencia a solidão dessas senhoras.

Diante das experientes atrizes, a direção de Alexandre sabiamente não pesa a mão e deixa as intérpretes à vontade, sem propor marcações rígidas, principalmente diante da dificuldade de locomoção de Eva. O encenador dá prioridade ao texto e jogo teatral apostando numa cenografia com ambientes demarcados a la Dogville e na iluminação correta de Matheus Macedo que destaca elementos cênicos, ao invés de criar diferentes perspectivas.

Quarta-feira, Sem Falta, Lá em Casa é uma peça sobre amizade e como elas podem superar as traições e ao tempo. Desejos, medos, inseguranças vem à tona quando essas mulheres idosas se veem isoladas e os frequentes encontros semanais, de alguma forma, é o que as mantém vivas, ativas e incluídas.

Quarta-feira, Sem Falta, Lá em Casa foi escrita em 1970 e é inspirado em uma conversa entre duas senhoras observada pelo autor, Mário Brasini, em um café no Rio de Janeiro. Em 2002, Beatriz Segall e Myriam Pires viveram as amigas Alcina e Laura. Em 2005 e 2006, Beatriz dividiu o palco com Nicette Bruno, após o falecimento de Myriam. As duas montagens tiveram também a direção de Alexandre Reinecke.

Veja a cobertura da estreia da peça no Teatro Porto Seguro

Serviço:
QUARTA-FEIRA, SEM FALTA, LÁ EM CASA
De 5 de outubro a 25 de novembro – Sextas e sábados, às 21h. Domingos às 19h.

FICHA TÉCNICA
Texto: Mário Brasani
Direção: Alexandre Heinecke
Assistente de Direção: Sara Freitas
Cenário: Alexandre Heinecke
Iluminação: Matheus Macedo
Trilha Sonora: Kleber Araújo
Figurinos: Fábio Namatame
Direção de Produção: Chaim Produções
Produção Executiva: Ana Dulce Pacheco
Assistente de Produção: Catarina Milani
Elenco: Eva Wilma e Suely Franco
Fotos: Caio Galucci

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here