Cores na Estação da Luz

Artista surpreende pela utilização inusitada de cores e texturas em seu trabalho Pulsações Cromáticas, disponível na Estação da Luz.

0
Um dos painéis expostos na Estação Luz da Linha 4-Amarela. Foto: Divulgação

Ei, você, que anda todo apressado! Sim, você mesmo! Na próxima vez que for utilizar o metrô de São Paulo preste atenção aos arredores na Estação da Luz, um turbilhão de cores, traços e texturas estarão te esperando. 

A artista e pesquisadora Cris Cavalcante, em busca de novas cores, nuances e texturas, apresenta sua mostra Pulsações Cromáticas na Estação da Luz, Linha 4-Amarela do metrô, em uma parceria com a ViaQuatro, concessionária responsável pela operação e manutenção da linha.

As mulheres vêm tendo cada vez mais espaço central na arte, seja no teatro, dança, música ou cinema. Cris comenta que o protagonismo feminino tem reverberado de forma mundial: “A voz feminina leva a força e o olhar, tantas vezes reprimido e desvalorizado, a patamares de protagonistas e elevando o mundo das artes em geral. Caminhos estão sendo abertos e meu desejo é contribuir para essa expansão e valorização, sou mulher, sou nordestina e levo a cor do nosso país para o mundo.”

A Galeria VerArte, fundada pela empresária cultural Vera Simões, une arte, design e projetos contemporâneos. Originalidade é a marca registrada da galeria que trabalha com pinturas, esculturas e fotografias exclusivas de 22 artistas que compõem o catálogo da casa.

“Ao final o que temos é uma exuberância cromática, em que os elementos tomam vida, despertando sensações, emoções e surpresa em quem observa a arte de Cris Cavalcante, dona de uma técnica única.”, comenta Vera Simões, da Galeria VerArte e curadora da mostra.

O trabalho singular de Cris Cavalcante é resultado de seus estudos sobre a mistura de viscosidades, polímeros e pigmentos, respeitando os fenômenos obtidos com essas fusões e o equilíbrio que algumas reações reversíveis realizam.

“Não só focar na acessibilidade, mas também levar a arte a lugares e públicos que geralmente não experimentam, por falta de oportunidade. E a Estação da Luz abriu espaço para romper padrões, que isso sirva de referência e modelo para resistirmos e para que haja expansão cultural no Brasil.”, finaliza Cris Cavalcante.

A exposição fica disponível até 31 de julho.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui