Cinema coreano ganha festival de exibição de filmes no Brasil

O Belas Artes À La Carte, em parceria com o Centro Cultural Coreano no Brasil, promove o festival de cinema coreano - de 16 a 30 de setembro.

0
49
Paju - Foto: Divulgação/Sinny Assessoria
Paju - Foto: Divulgação/Sinny Assessoria

O Belas Artes À La Carte, em parceria com o Centro Cultural Coreano no Brasil, promove o festival de cinema coreano. O Volta ao Mundo: Coreia do Sul reúne sete filmes do país exibidos no serviço de streaming. O evento é uma homenagem ao aniversário de 60 anos do longa Bala Sem Rumo, de Yoo Hyun-mok, que é considerado pelos críticos o “o melhor filme sul-coreano já feito”. 

O festival traz obras lançadas em 1961, ainda em preto e branco, até longas que foram exibidos no 10º Festival Mundial de Cinema de Montreal, em 1987. São eles Bala Sem Rumo (1961), de Yoo Hyun-mok; O Caminho para Sampo (1975), de Lee Man-hee; Amora (1985), de Lee Doo-yong; Atrizes (2009), de Lee Jae-yong; Paju (2009), de Park Chan-ok; A Empregada (2010), de Im Sang-soo; e Canola (2016), de Yoon Hong-seung

As obras audiovisuais coreanas têm ganhado bastante espaço no cinema mundial. Boa parte disso veio com a premiação do Oscar que nomeou Parasita como o principal da cerimônia. O diretor do filme, Bong Joon-ho, foi o responsável pela obra. 

Actrizes - Foto: Divulgação/Sinny Assessoria
Actrizes – Foto: Divulgação/Sinny Assessoria

Desde os anos 1990 o cinema sul-coreano não havia recebido uma única indicação ao prêmio. O professor do Departamento de Comunicação da Universidade Kawngwoon, Marc Raymond  disse, em entrevista à BBC News, que o Oscar foi uma forma de reconhecimento dos trabalhos feitos pelo país “há quase duas décadas”.

A influência das obras sul-coreanas

A produção cinematográfica da Coreia do Sul é fortemente influenciada pela situação política do país durante décadas. Por volta dos anos 1950, as produções sul-coreanas estavam na chamada Era de Ouro no cinema, mas em 1961 se iniciou um período de ditadura militar o que impactou negativamente o setor. 

Apesar do grande período do regime, em 1966, foi criado uma cota para a produção de filmes nacionais, no qual previa um mínimo de dias para a exibição das obras. 

Então, com o fim da ditadura a política das cotas se ampliou e o governo passou a investir em outros setores de cultura da Coreia do Sul, como: música, TV, novelas e até quadrinhos. Além disso, mais cursos de cinema foram abertos para a mudança na indústria. 

Veja as sinopses dos filmes que serão exibidos no Festival

– BALA SEM RUMO (Aimeless Bullet)
Coreia do Sul, 1961, p/b, 110 min., drama.
Direção: Yoo Hyun-mok
Elenco: Choi Mu-ryong, Kim Jin Kyu e Moon Jeong-suk.
Sinopse: Um contador pressionado, seu irmão veterano de guerra e sua família disfuncional lutam para se integrarem à sociedade coreana do pós-guerra.

– O CAMINHO PARA SAMPO (The Road to Sampo)
Coreia do Sul, 1975, cor, 95 min., drama.
Direção: Lee Man-hee
Elenco: Baek Il-seob, Kim Jin Kyu e Mun Suk.
Sinopse: O jovem trabalhador da construção civil Young-dal conhece um homem de meia-idade chamado Jeong, que está voltando para Sampo, sua cidade natal, depois de cumprir pena na prisão e vagar de um canteiro de obras para outro. Já se passaram dez anos desde que ele esteve em Sampo pela última vez. Em um restaurante, os dois conhecem Baek-hwa, uma hostess de bar em fuga, e os três começam sua jornada juntos. O homem mais jovem e a garota, que discutiam constantemente no início, logo se apegam um ao outro, e o trio viaja para a estação de trem, cada um relembrando seu passado enquanto caminham.

– AMORA (Mulberry)
Coreia do Sul, 1985, cor, 114 min., drama.
Direção: Lee Doo-yong
Elenco: Lee Mi-sook, Lee Dae-kun e Lee Moo-jung
Sinopse: Sam bo é um jogador que vive sem se preocupar com a forma como sua esposa administrará sua casa sem que ele ganhe dinheiro. Para conseguir comida e provisões, sua esposa An-hyeob dorme com vários mercadores na aldeia. Um dos poucos homens com quem ela não dorme, um servo lascivo chamado Sam-dol, decide revelar suas atividades ao marido como vingança. 

ATRIZES (Actresses)

Coreia do Sul, 2009, cor, 104 min., documentário/drama
Direção: Lee Jae-yong
Elenco: Kim Min-hee, Youn Yuh-Jung, Kim Ok-bin, Lee Mi-sook, Go Hyun-jung e Choi Ji-wooSinopse: Quando seis famosas atrizes sul-coreanas se reúnem para uma sessão de fotos da Vogue, seus egos de estrelas colidem, uma vez que estão acostumadas a serem o centro das atenções, e agora devem dividir os holofotes. O diretor Lee Je-yong disseca o mundo do entretenimento sul-coreano neste falso documentário, permitindo que atrizes reais representem versões fictícias de si mesmas.

 – PAJU (Paju)
Coreia do Sul, 2009, cor, 110 min., drama.
Direção: Park Chan-ok
Elenco: Lee Sun-kyun, Seo Woo
Sinopse: Choi Eun-mo, de 15 anos, se apaixona pelo futuro marido da sua irmã mais velha, um professor sete anos mais velho que ela. Um dia, sua irmã morre em um acidente e Eun-mo começa a viver com o cunhado viúvo. Mas a garota começa a desconfiar que seu amado pode estar envolvido na morte da irmã dela, sem imaginar que, na verdade, ele a está protegendo de algo ainda mais terrível.

– A EMPREGADA (The housemaid)
Coreia do Sul, 2010, cor, 107 min., drama.
Direção: Im Sang-soo
Elenco: Jeon Do-yeon, Lee Jung-jae e Youn Yuh-Jung.
Sinopse: A jovem Lee Eun-yi é recrutada por uma governanta de aristocratas coreanos para trabalhar como babá e empregada. No luxuoso ambiente moram o executivo Hoon, sua esposa Hae-ra, que está grávida de gêmeos, e sua filha pequena, Nami. A moça é recebida respeitosamente e logo se adapta ao local. Até que um dia, quando viaja com a família para cuidar da filhinha do casal, o patrão resolve visitá-la em plena madrugada. Eles passam a manter um caso, que logo é descoberto pelas demais mulheres da casa.

– CANOLA (Canola)
Coreia do Sul, 2016, cor, 117 min., drama.
Direção: Yoon Hong-seung
Elenco: Youn Yuh-Jung, Kim Go-eun, Kim Hee-won e Ryu Jun-Yeol.
Sinopse: Doze anos após terem se perdido uma da outra em um mercado, avó e neta se reencontram. Mas as coisas não são mais tão boas e perfeitas, como eram antes da traumática separação. 

Serviço
Volta ao Mundo: Coreia do Sul
Data: 
16 a 30 de setembro
Onde: Belas Artes À La Carte
Valor: Disponível para assinantes: R$ 9,90 (mensal) ou R$ 108,90 (anual)
Para assinar acesse: www.belasartesalacarte.com.br e clique em ASSINE.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here